Elementos essenciais do cuidado missionário

“Cuide de você mesmo e do teu ensino.” 1Tm 4:16


Quando pensamos em um missionário sendo enviado para um campo missionário, podemos compará-lo a um soldado indo para uma batalha. Vemos o soldado passando por um bom treinamento, recebendo suas armas de guerra, muitos companheiros estratégicos, um comando dando toda direção das investidas, um centro de apoio para qualquer eventualidade etc., assim deveria ser; mas, nem sempre a realidade dos nossos obreiros em campo, se compara a um soldado se preparando para uma guerra.

A campo missionário é um grande desafio, pois é uma área de combate intenso e vigoroso na esfera espiritual; e muitas vezes atinge a área familiar, emocional, espiritual e física do missionário; o que leva alguns a abandonar a missão. Entendemos que, o se cuidar, e o ser cuidado, enquanto se está na “linha de frente”, é essencial para manter a saúde, a força, o foco e o sucesso da missão.


Quais seriam então, alguns elementos essenciais para o cuidado do obreiro que está no campo? O texto de Paulo a Timóteo nos dá alguns princípios:


AUTO CUIDADO

Em primeiro lugar cada um é responsável pelo cuidado consigo mesmo. Preciso fazer aquilo que sei que deve ser feito. Permanecer em constante crescimento espiritual, emocional, físico, familiar e relacional, depende em primeiro lugar da sua atitude. Ao se envolver de forma frenética no trabalho, negligenciando suas necessidades e de sua família, você se tornará vulnerável, enfraquecido e até derrotado.

O fazer, jamais deve preceder o ser”.


Testemunhos:

1-“Minha área vulnerável tem sido o meu emocional, preciso de ajuda.”

2- “Diante das demandas da missão, acabo negligenciando o cuidado comigo mesma e com a família”.


CUIDAR DA DOUTRINA

Cuidar da doutrina deve ser entendido como um processo de crescimento contínuo para a vida pessoal, e depois, o ensino para o outro. Paulo fala a Timóteo: “...seja um exemplo para os fiéis, na palavra, na conduta, no amor, na fé, na pureza”. “... fazendo assim, você salvará tanto a si mesmo como aos que o ouvem.” (1Tm 4.12,16)


Em algumas entrevistas, feita para elaborar esse artigo, me deparo com a seguinte frase: “Eu me aplico à Palavra de Deus para preparar estudos bíblicos, pensando no que o outro precisa aprender. Raramente penso no que Deus quer me ensinar”.


Testemunho:

1- “Como missionária estou sempre ministrando a alguém; sinto falta de ser ministrada por outros”.

CAMINHAR COM UM DISCIPULADOR


Paulo confiou a Igreja de Éfeso a seu discípulo Timóteo. Mesmo de longe, Paulo permanecia instruindo, discipulando e encorajando o jovem discípulo a permanecer e crescer naquilo que havia recebido de Deus, e sido instruído. Ter pessoas caminhando conosco é essencial para sinalizar áreas em que precisamos crescer e dispensar cuidados; como também, nos ajudar a pensar e elaborar passos práticos para tornar visível esse crescimento;


“...para que o seu progresso seja visto por todos” (1Tm 4.15). Paulo recomenda a Timóteo: “...reavive o dom de Deus que está em você...; não seja negligente...” (2Tm 1.6; 1Tm 4.14). “Não beba somente água, ... por causa do seu estômago... e de frequentes enfermidades” (1Tm 5.23)

A grande maioria dos obreiros no campo missionário ainda estão em formação pessoal, familiar e ministerial. Necessitam de instrução e apoio para permanecer crescendo. O seu crescimento e fortalecimento terão impacto diretamente em seu ministério, e nas gerações futuras da Igreja de Cristo.

Testemunhos:

1- “Estou muito feliz caminhando em um grupo de discipulado com outras missionárias; me devolveu a alegria do meu tempo com Deus”.

2- Caminhar em um grupo de discipulado intencional com outras missionárias tem me feito sentir cuidada e apoiada, além de me proporcionar crescimento espiritual; isso, tem refletido diretamente na minha família e na missão”.

3- “Meu grupo de discipulado tem me ajudado a identificar áreas da minha vida que preciso de ajuda.


Querido missionário, jamais deixe de se ver como um simples ser humano. Mesmo tendo recebido um chamado de Deus, você permanece sendo uma pessoa vulnerável. Continua tendo necessidades, também está no processo de amadurecimento, sofre grandes embates, nem sempre acerta, às vezes se sente só, muitas vezes se sente fraco e impotente diante dos desafios. Você precisa aprender a olhar para si, reconhecer suas necessidades, cuidar de si e de sua família, enquanto cumpre o seu chamado.


___________________________


Dilma Montelares - Sou missionária no Rio Grande do Sul, juntamente com meu esposo Mauro há 5 anos. Desenvolvemos nosso ministério dentro de uma visão de discipulado e cuidado com todas as faixas etárias da Igreja que implantamos. Também faço parte da Equipe do ministério de Homens e Mulheres Mentoras, trabalhando também na área de discipulado e cuidado de missionárias e pastoras/esposa de pastor.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo